• Propago Social

Educar é desaprender


Um galo sozinho não tece uma manhã:

ele precisará sempre de outros galos.


João Cabral de Melo Neto - Tecendo a Manhã




Os limites do modelo de educação tradicionalmente aplicado nas escolas já foram delimitados e discutidos por diversos estudiosos. Para extrapolá-los, a educação transformadora propõe uma contribuição entre estudantes e educadores, a fim de que todos desenvolvam - cada um no seu próprio ritmo e à sua maneira - seu potencial, suas competências pessoais, sociais e éticas.


Essa educação promove um ambiente em que todos se sintam acolhidos e confiantes, para que se possa experimentar, errar e seguir caminhos diferentes em cada processo de aprendizagem. Trata-se de um encontro entre pessoas que interagem, se apoiam, compreendem e se ajudam. Para o Instituto UNO, esse ambiente só é possível por meio da transformação dos educadores, da desconstrução do padrão tradicional de ensino embutido em cada um.





Por esse motivo, foi criado o Programa de Voluntariado do Instituto UNO: uma Tecnologia Social reconhecida pela Fundação Banco do Brasil, que abrange um conjunto de métodos e processos de atração, seleção, formação intensiva e acompanhamento de voluntários que se tornam ecoeducadores do Programa "Quero Saber...", uma série de projetos especializados para crianças e adolescentes que estão em situação de acolhimento e apresentam defasagens educacionais.


Como o Programa "Quero Saber…" trabalha fora do ambiente escolar com um público bastante heterogêneo, foi necessário criar uma metodologia inovadora - baseada em aspectos de outras correntes de Educação e de Projetos Sociais - e que evolui a cada dia, por nos posicionarmos como eternos aprendizes de educadores.


Os pilares dessa metodologia foram desenvolvidos com inspiração nos princípios da Carta da Terra, da Pedagogia da Colaboração e da Ecopedagogia, que tratam sobre coexistência, convivência, cooperação, senso de comunidade, respeito à Terra, cultura da paz, sustentabilidade e justiça social e econômica.





Baseados nesses pilares, as(os) ecoeducadoras(es) do UNO buscam levar para as crianças e adolescentes experiências significativas que colaborem no processo de desenvolvimento da autonomia da aprendizagem e, consequentemente, que aumentem possibilidades de acesso ao saber de forma lúdica, envolvente, contextualizada e transdisciplinar.


O respeito pelas crianças e adolescentes é fundamental, também, no processo de aprendizagem de cada um. Por meio de situações corriqueiras e próximas ao universo deles, seus conhecimentos prévios podem ser valorizados, de maneira a compreenderem que o que sabem (por pouco que seja), é a principal via de acesso ao processo de desenvolvimento de suas aptidões.



As ações e os princípios do UNO têm uma relação próxima com a natureza, uma vez que ela é considerada a grande instrutora da humanidade, capaz de criar oportunidades de desenvolvimento máximo do potencial de cada ser. Por isso, uma vez ao ano, as crianças e adolescentes participantes do "Quero Saber…" passam um dia na natureza, explorando-a para mergulharem em si.


A natureza também propicia momentos interessantes nas práticas do UNO, porque existem aspectos dela que permanecem mistérios para os humanos, o que coloca no mesmo patamar de conhecimento ecoeducadores, crianças e adolescentes. Criar uma relação de igualdade na pesquisa e no desenvolvimento de diferentes visões da realidade estimula a intuição e o pensamento criativo.


Os princípios que regem o Instituto UNO e as bases de sua educação propõem uma abordagem em que o conhecimento das pessoas envolvidas na aprendizagem é importante para o desenvolvimento de todos e que esse se dá somente quando todos também se consideram eternos aprendizes.


11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo