Como a semente de uma árvore, a criança guarda em seu interior toda

a informação que necessita para desenvolver seu potencial máximo.

 

Para que esse potencial emerja, cabem aos adultos

respeito e um constante estender de mãos.

O F E R E C E M O S

   E D U C A Ç Ã O   

E S P E C I A L I Z A D A

para adolescentes e crianças em situação de acolhimento institucional e que apresentam defasagem importante em educação, começando pela alfabetização.

Existimos para fortalecer um movimento que surge nos tempos atuais em várias partes do mundo com o propósito de transformar definitivamente a educação através de princípios como o respeito, o ouvir, o sentir, o colaborar, o afeto, o amor.

Assumimos como ponto de partida a alfabetização desses adolescentes e crianças que já apresentam as dificuldades de aprendizagem próprias deste recorte da população.

Um desafio gigantesco mas que nos fortalece cada dia mais e nos prepara para enfrentar um outro desafio ainda maior: levar uma educação inovadora e extremamente efetiva a todos adolescentes e crianças em situação de vulnerabilidade social do nosso país.

Conheça nossos Programas e Projetos

valor vertical.png

Dê seu apoio

Desde 2011 atendemos a 240 crianças e adolescentes em 28 serviços de acolhimento, realizando cerca de 5 mil atividades educativas 'in loco' complementadas com 17 excursões e  41 estudos exploratórios externos, com o apoio de 170 voluntários ecoeducadores dedicados e comprometidos, atuando semanalmente por mais de um ano de forma ininterrupta.

O QUE DIZEM OS SERVIÇOS DE ACOLHIMENTO

"O Instituto Uno, com o Projeto “Quero Saber...”, está sendo essencial para o desenvolvimento pedagógico dos nossos acolhidos. Há anos eles nos auxiliam, como parceiros, diretamente na alfabetização e, consequentemente, na autonomia das crianças/adolescentes. Enfrentamos diariamente a moléstia da educação em nosso país e percebemos que esse nosso público é extremamente atingido pela deficiência na leitura e escrita. Tendo em vista que acolhemos adolescentes analfabetos e vivemos em uma sociedade onde crianças possuem destreza para manusear aparelhos digitais, eles precisam o quanto antes de ajuda para serem inseridos em uma sociedade que só os exclui. Essa ajuda vem do Projeto “Quero Saber” e está sendo muito bem aproveitada por todos."

Euza Ferreira - Coordenadora

SAICA Marly Cury

O QUE DIZEM OS SERVIÇOS DE ACOLHIMENTO

TRANSFORMAMOS

 VOLUNTÁRIOS 

EM EDUCADORES

PARA QUE SE REALIZEM EM SEU PROPÓSITO DE ATUAR POR UMA CAUSA COM A QUAL SE IDENTIFICAM E SE SINTAM TÃO PLENOS AO SE DOAR COMO REALIZADOS AO ENXERGAR OS RESULTADOS DE ALTO IMPACTO QUE AJUDAM A CONCRETIZAR

Thais Lee

Voluntária Ecoeducadora

"O "Quero Saber..." foi (e continua sendo) tão importante para mim, que quando comecei, não quis mais fazer outra coisa além de trabalhar com a educação e por isso mudei de área e entrei na Pedagogia"

A mudança interna já começa no Curso de Formação que nos prepara para sermos ecoalfabetizadores, nos ajuda a esquecer tudo que temos construído sobre educação tradicional e nos abre as portas para um novo jeito de pensar, uma nova forma de educar. Uma educação que valoriza o que a criança já é em si e preza pela troca entre pessoas (trabalhamos focados no presente e levamos em conta o que é relevante pra elas no agora. E é assim que conseguimos resultados incríveis com as crianças e adolescentes). É mais que um projeto, é conexão e interação, transformação do nosso Ser/transformação de vida."

Marina Marcassa

Voluntária Ecoeducadora

"Impulsionada por duas amigas que já faziam parte do “Quero Saber…”, me inscrevi como voluntária com o objetivo de fazer o bem e ajudar ao próximo. Iniciei o Curso de Formação e mesmo eu, que nunca fui adepta ao conservadorismo, já fui impactada por todo um processo de desconstrução.

 

As atividades semanais me ajudaram a quebrar paradigmas e enxergar possibilidades além do nosso meio comum e isso era apenas o começo. O convívio no abrigo e o contato direto com as crianças me trouxeram uma visão de mundo completamente diferente da que eu tive acesso durante minha vida inteira. Aprendi a julgar menos, entendi que a história de cada pessoa impacta diretamente nas suas atitudes e reforcei para mim mesma a importância da escuta ativa para ensinar, aprender e trocar informações. Vejo que atingi mais do que eu buscava, além de fazer o bem aos outros, o projeto faz a mim também e essa troca é engrandecedora."

Andrea Pimentel

Voluntária Ecoeducadora

"Mesmo trabalhando há mais de duas décadas como pedagoga, o encontro com a equipe pedagógica do Projeto “Quero Saber...” foi um presente!

A participação no curso de formação foi uma das experiências mais significativas para minha formação como cidadã do mundo e, consequentemente, como educadora. O olhar para o outro partindo da possibilidade que temos em nos transformar para podermos transformar o entorno foi um dos maiores aprendizados que tive e tenho ao fazer parte deste Projeto "

Mariana Vilea

Voluntária Ecoeducadora

"A minha experiência com a formação do voluntariado foi incrível e única. Pude questionar a formação educacional que tive e ressignificar de uma forma gostosa e proveitosa o que é educação para mim.

 

A formação do Instituto Uno permite que os voluntários apliquem, em um ambiente de acolhimento institucional, uma educação transformadora de forma contextualizada. Desde que acompanhada de valores básicos como empatia, humanidade, dignidade e valorização do processo (e não apenas do resultado por si só), a educação é um caminho muito poderoso a ser seguido se quisermos transformação e ressignificação para um mundo melhor e mais justo."

Fernanda Soares

Voluntária Ecoeducadora

"Ao me tornar uma voluntária ecoeducadora do Instituto Uno em 2012, senti reforçar em mim o desejo genuíno de ajudar ao próximo a superar alguma dificuldade ou limitação.

Trabalhar com crianças/adolescentes institucionalizados e que apresentam dificuldades de aprendizado é uma experiência desafiadora e requer bastante sensibilidade do voluntário para identificar as necessidades educativas de cada um, individualmente, e as possibilidades de intervenção, sem desconsiderar a situação de vulnerabilidade em que se encontram.

Auxiliar uma criança a se apropriar da leitura e da escrita e possibilitar que ela modifique suas condições iniciais (cultural e social) é motivante!! E este “simples” ato altruísta de me doar ao outro, contribui para a minha própria felicidade!"

Tarsila Carvalho

Voluntária Ecoeducadora

No curso de formação de voluntários do Instituto UNO, entendi que os conceitos que eu tinha de educação eram parcos e muitas vezes equivocados. Hoje, continuo sabendo pouco, mas o que eu pude absorver daqueles encontros serão para sempre levados comigo.

 

O trabalho, apesar de bem supervisionado, é difícil, exige disponibilidade e muita vontade. Exige, acima de tudo, desprendimento de tudo aquilo que eu acreditava que podia controlar. Mas a troca de afeto conserta tudo. Toda vez em que me sinto desanimada ou quando estou muito atarefada, eu lembro do quanto as crianças me ensinam toda semana e o quanto eles escancaram, para mim mesma, as minhas fragilidades e deficiências."

Mônica Ruas

Voluntária Ecoeducadora

Já no curso de Formação de Ecoeducadores Voluntários, tive a certeza de que trabalhar com crianças e adolescentes em situação de acolhimento seria uma experiência rica e transformadora.

Foram encontros intensos, de muito aprendizado e de reflexões importantes, coordenados por pessoas que realmente praticam o que ensinam: empatia, comprometimento, escuta ativa, criatividade, flexibilidade e paciência. Depois veio o trabalho com as crianças e adolescentes do abrigo, que me aproximou de uma realidade difícil, mas também me fez acreditar ainda mais que podemos, sim, fazer a diferença que queremos ver no mundo e que a educação é um caminho poderoso para construirmos um mundo mais justo e menos desigual."

Marina Costa

Voluntária Ecoeducadora

O trabalho voluntário com o Uno começou a me transformar desde o momento do curso preparatório que antecede o trabalho nos SAICAs. A jornada é cheia de descobertas e reflexões, um novo universo se abre e a gente vai se desconstruindo como pessoa, comprovando aquela máxima de que "o trabalho voluntário enriquece tanto quem o recebe quanto quem o dá".

 

Sou muito grata porque ele me fez entrar em contato com uma realidade que eu desconhecia e vivenciar uma troca que seria praticamente improvável fora do voluntariado."

Please reload

Andréia Araújo

Voluntária Ecoeducadora

"Foi uma das melhores decisões que já tomei na vida.

 

Me juntei a um grupo incrível, gerenciado por pessoas que fizeram desse trabalho sua causa pessoal e se dedicam com muita garra, amor e vontade para promover mudança por meio da educação na vida de muitas crianças e adolescentes.

Participar deste projeto, abriu meus olhos para um mundo que eu não conhecia, e não só os meus olhos, mas os olhos dos meus filhos, do meu marido e de todos aqueles com quem tenho compartilhado essa experiência. Tenho certeza que esse trabalho me ajuda a ser uma pessoa um pouquinho melhor, menos egoísta, com uma visão mais ampla sobre o universo das crianças e adolescentes que vivem nos abrigos e com um entendimento maior sobre o poder da educação para construção de um mundo melhor."

Lissa Kawai

Voluntária Ecoeducadora

"Estar no "Quero Saber..." é abrir portas de possibilidades.

 

A minha foi de poder conhecer crianças que me ensinam a ser mais leve, forte, criativa e responsável. Fazer um trabalho voluntário como este é poder se auto conhecer e enfrentar grandes desafios."

Bruna Tiussu

Voluntária Ecoeducadora

"Além de todos os ensinamentos pedagógicos, encontrei no “Quero Saber…” um ambiente extremamente colaborativo. Ali, princípios tão caros à formação humana, como empatia, humildade e respeito, norteiam todo o trabalho e dão mais significado ao esforço aplicado pela equipe do Instituto Uno e voluntários.

 

Para mim, ter contato com crianças e adolescentes e aprender na prática mais sobre educação, esse tema tão sensível em nosso país, têm sido uma experiência linda. E a oportunidade de ver na prática o poder da troca — de afeto, de conhecimento, de cumplicidade — faz despertar ainda mais o meu papel como agente da mudança."  

Elaine Oliveira

Voluntária Ecoeducadora

"Quando conheci o “Quero Saber...”, não imaginei o quanto esse projeto seria transformador para mim.

 

O curso para a formação de voluntários ecoeducadores foi muito bom, me instigou a pensar e refletir mais sobre educação em geral e na forma como as escolas e instituições abordam o tema. Construí e desconstruí ideias. Aprendi muito. Para mim, foi muito enriquecedor estudar um assunto com o qual me deparo diariamente em contato com meus filhos. Além da riqueza dos pensamentos e reflexões, foi incrível conhecer pessoas tão disponíveis, engajadas e que acreditam no poder transformador da educação e da união, como a equipe do Instituto Uno. Posso dizer que o trabalho é puxado e exige bastante, mas a troca entre nós e as crianças, faz tudo valer a pena!"

Rodrigo Audi

Voluntário Ecoeducador

"Projetos como o “Quero Saber...” são fundamentais, porque promovem de verdade a troca, numa escala mais humana, onde todos aprendem: os jovens, nós.

 

Porque não são só eles que têm que aprender. Nós temos que reaprender. E isso é urgente. Como este tipo de trabalho cria proximidade, porque nele você trabalha com um grupo pequeno de jovens, os estereótipos são vencidos e neste encontro potente crescemos todos, nos desconstruindo, a cada dia, nos encontrando com nosso ser mais interior, sempre.

Aparecida Kikumoto

Voluntária Ecoeducadora

"Depois de trabalhar por 41 anos em TI, na área financeira, meu plano era o de fazer trabalho voluntário com crianças. Logo na primeira pesquisa descobri o site da Atados e, através dele, o Instituto Uno e seu projeto “Quero Saber...”. A proposta de cara já me encantou: alfabetização e letramento de crianças e adolescentes que vivem em abrigos. Desde 2017 estou engajada fortemente no projeto e procuro sempre dar o melhor de mim.

O encontro semanal com as crianças envolve preparo, desafios, conflitos, conquistas, vitórias e, algumas vezes, até lidar com nossas próprias frustrações. Tudo isso se torna um aprendizado. Saímos de um encontro avaliando o resultado, trocando ideias e elaborando propostas, corrigindo desvios para trabalhar na próxima semana com conteúdos que as crianças “querem saber”. Cada encontro é totalmente diferente e traz novas experiências e muita alegria quando, de braços abertos, as crianças vêm e nos abraçam, dizendo: “Oi tiaaaaa!”. É a mais pura gratidão!"

Elaine Correa

Voluntária Ecoeducadora

"Ser voluntária me trouxe a oportunidade de trabalhar com meus valores e sanar minha necessidade de fazer algo pelo próximo, não de forma superficial e, sim, singular.

Mesmo que singelo, em cada pequena ação, fala e olhar, os voluntários do Instituto Uno transformam vidas. Acredito muito no efeito borboleta e, nesse momento, em algum lugar, o vento já mudou de direção e eu fiz parte dessa mudança."

Dyego Santos

Voluntário Ecoeducador

"Sempre percebi o meu ambiente como um ecossistema integrado onde a autorresponsabilidade é quase um superpoder para agir no que está sob meu controle e renunciar no que não. Em uma convergência entre realização pessoal e vontade de contribuir para o meu mundo melhor, tomei a atitude de buscar meu papel na minha pequena sociedade, São Paulo. Foi assim que o Instituto Uno surgiu na minha vida, respondendo à dificuldade de como ajudar de forma responsável e duradoura.

 

A solidez e suporte do Uno me deram o caminho para poder contribuir com o pouco que posso, tornando ainda mais valioso o meu pequeno bem querer para as crianças."

Julia Serikawa

Voluntária Ecoeducadora

"O maior ganho para mim tem sido as trocas: conhecer histórias de vida diferentes e aprender com as experiências dos outros. Encontrar e ter contato com pessoas de contextos tão diferentes, mas que compartilham a mesma vontade de causar um impacto, mesmo que pequeno, na sociedade é incrível. Ver o engajamento dos voluntários, poder participar e colaborar com o compartilhamento de ideias e com as discussões acerca da educação faz meus olhos brilharem.

 

Acredito que exista um ciclo entre engajamento e motivação que alimenta a instituição. E a união por empatia que ocorre entre os membro e voluntários é o que torna o trabalho do UNO apaixonante."

Please reload

info@institutouno.org.br

+55 11 5063-1263

  • LinkedIn - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • Facebook - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco

Instituto UNO

CNPJ: 09.312.296/0001-50

Rua Salvador Simões, 801 - cj. 1208

Alto do Ipiranga, São Paulo/SP

© 2017 - Todos os Direitos podem ser compartilhados com você. Pergunte-nos como.